terça-feira, 30 de setembro de 2014

Fechou os olhos.
Não era hora de dormir,
Sua mãe dizia.
Fechou os olhos,
Descobriu que o peso
Não era sono.
Viu ele, o peso, desaguar
E deixou escorrer,
Até dormir.
Sonhou com monstros
Destruindo tudo
Pisando em tudo
Como se o tudo
Fosse nada.
Acordou.
Achou que o sonho tivesse acabado.
Ao invés disso
Viu o monstro,
Pisando em tudo,
Enquanto dizia
Que não era hora de dormir.

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Câmbio, na escuta

Hoje eu chorei. Jogada no chão. Deitei e chorei alto, gemi de dor como se me arrancassem um pedaço. Passou como veio, sem explicação. O porquê só veio quando o calendário me contou que estava fazendo aniversário.