terça-feira, 3 de setembro de 2013

Sempre cabe amor num peito machucado

Ela tem tanto medo do amor que nem cita seu nome em voz alta. Tem tanto medo que fez promessa pra não se apaixonar nunca mais. Ela tem tanto, mas tanto medo do amor que jura de pé junto que agora só vai amar a si mesma. Ela morre de medo do amor, morre de medo de amar. Ela não fala sobre ele, não pensa sobre ele. Mas o amor é traiçoeiro. Ele escolhe quem não o quer. Ele é como uma flor que nasce na pedra, sem ser convidada, e vai brotando do nada. O amor é faceiro e se instala fácil fácil no coração de quem está ocupado tentando parecer forte e inabalável. O amor abala. E a garota que morria de medo dele, e batia na madeira quando ouvia falar sobre, se viu um dia se despedindo com essas exatas palavras: "Te amo".

Nenhum comentário:

Postar um comentário