sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Bolso furado, alma vazia



Andando na rua esses dias, percebi que o bolso da minha calça estava furado. Como percebi? Eu comecei a perder as coisas. Num dia eu perdi umas moedas, no dia seguinte meu isqueiro desapareceu, depois, eu perdi aquele papel com aquele endereço, perdi o bilhete do cinema, perdi a foto 3x4, perdi a calma e esqueci de perder a raiva. Perdi o ultimo chiclete e aquele recadinho que você deixou pra mim hoje de manhã. Perdi o rumo, perdi o ônibus, perdi meu anel e quase perdi meu juízo. Perdi a cabeça, mas ela eu achei. Perdi o trocado do ônibus, o trocado do troco, o trocado do pão. Perdi tanta coisa que eu nem lembro mais. Poderia ter perdido mais coisa. Podia ter me perdido de vez, só pra você me achar. Perdi a hora, perdi a aula, perdi o cartão e perdi vontade. Tudo culpa do bolso furado. Tudo culpa da alma furada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário