terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Carnaval é todo dia

O carnaval chegou. E eu, que todo ano ficava sentada, emburrada, em frente à tv, falando mal de todo esse dinheiro gasto a toa, de toda essa vulgaridade sem próposito, e de toda essa irresponsabilidade bêbada, me vesti de purpurina e fui pra rua. Eu que sempre achei que tanto dinheiro gasto em pedras, plumas e paêtes seria muito melhor aproveitado em escolas e hospitais, pintei a cara e segui o bloco. Não que eu tenha mudado de idéia quanto à isso. Tanto dinheiro teria sim, fins muito mais proveitosos e duradouros. Mas não tem. O brasileiro não sabe viver à base de seriedade. O brasileiro não sabe viver sem a festa da bunda de fora. O que é outro rótulo errado. Falar que o carnaval é a festa da bunda de fora, é generalizar. É julgar pelo que se vê na tv, desfilando na Sapucaí. Vai pra rua e vê a quantidade de criança fantasia jogando confete pro alto tem lá. Vai ver quanta gente idosa não fica jovem cantando marchinha na rua. Vai na rua, e vê quanta gente esperou um ano todo pra poder ser quem sempre quis, de salto e batom, de peruca e brilho, de sorriso e amor. O carnaval chegou e passou, e eu cheguei à uma conclusão. Não dá pra esperar um feriado no ano pra ser quem você é. Pra aproveitar o tem que ser aproveitado. Carnaval é todo dia.


Nenhum comentário:

Postar um comentário