domingo, 28 de outubro de 2012

Hoje eu sou o que não fui ontem. O que provavelmente também vou ser amanhã, mas depois de amanhã, nunca se sabe. Hoje eu quero o que ontem eu jurei de pé junto que eu não queria e daqui uma semana só deus sabe o que vou querer. Hoje eu só quero que alguém decida por mim. Só quero que alguém me diga o que fazer. Porque na minha cabeça, entre os desejos de liberdade e as algemas que eu tanto amava e nunca deixei de amar, eu só tenho uma esperança.

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Pedido

Eu fechei os olhos e pedi com toda a força que eu podia ter. Mentalizei da forma mais real que pude tudo que eu queria que tivesse acontecido, esperando que algum tipo de ritual pudesse ser feito. Desejei de todo o meu coração, como nunca tinha desejado algo na vida antes. Implorei pra quem quer que seja que pudesse me ouvir. Rezei para todos os anjos e santos conhecidos, e que eu não acreditava. Esperei, esperei de olhos fechados por algo que eu não tinha certeza que aconteceria. Não sei se esperei por minutos, horas, ou dias, mas eu fiz o possível. Eu fiz o possível e o impossível pra poder fazer tudo de novo. Fiz o possível e o impossível pra poder voltar no tempo e com meia dúzia de palavras transformar um futuro inteiro. Pode parecer cruel, egoísta, ou seja lá o que for, mas não deixar isso acontecer evitaria uma infinidade de coisas, um infinito tempo que não foi perdido mas foi gasto. Pouparia toda essa dor, toda essa angústia de todos envolvidos. Eu fechei os olhos e pedi com todas as minhas forças, e nada mudou.
Tem coisa que a gente tem que aguentar sozinho. Coisa que ninguém precisa saber. Tem dor que dói de um jeito gostoso, e por mais que doa, a gente acostuma. Tem solidão que não é tão sozinha, que é aconchegante. Tem saudade que tem que ser pra sempre, não nasceu pra ser matada. Tem quem não entende a gente, tipo nós mesmos. Tem hora que a inspiração vai embora, e tem hora que a gente pede pra ela ir. Tem hora que o vazio é tão grande que engole a gente, e tem hora que a gente se sente tão grande que engole o vazio. Tem vezes que eu falo demais, e alto demais, só pra não ouvir meus pensamentos me dizendo que as coisas ainda estão erradas.

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Se você soubesse tudo que eu sei, hoje você fingiria nem me conhecer.

domingo, 14 de outubro de 2012

A ordem certa das coisas

Primeiro eu me empolgo, crio todas as expectativas possíveis. Depois, ainda muito empolgada, eu me decepciono. Eu sempre me decepciono. Aí eu fujo. Me escondo. Aí depois... Eu esqueço. E volto a me empolgar. E tudo vai se repetindo.

domingo, 7 de outubro de 2012

Coisas mais legais da vida:

- Chuva.
- Acordar e não precisar levantar.
- Pote com tampa.
- Apontador novo.
- Ficar em casa sozinha.
- Cantar bem alto.
- Estar com sono e poder dormir.
- Tinta nova.
- Livro velho.
- Limpar coisa suja.
- Ver que tudo está limpo.
- Andar sozinha.
- Andar acompanhada.
- Não precisar pensar em nada.

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Eu parei no meio do caminho. Simplesmente parei. Mas você continuou correndo, me puxando pela mão, me falando sem parar das coisas que tinha visto e gostado. Eu fui. Você estava me puxando, e estava feliz. E nesse trajeto eu parei mais umas 3 ou 4 vezes, não sei, e você sempre tinha disposição de sobra, pra mim e pra você. Só que dessa vez eu parei e simplesmente decidi que quero ir pro outro lado. Eu sempre quis ir pro outro lado, mas eu nunca consegui. Eu quero ir pro outro lado! E você não pode simplesmente me seguir, seu lado não é por aqui. Você vai seguir pelo seu lado, e eu pelo meu. E se eu quiser parar, eu vou parar. E se eu quiser mudar de lado de novo, e de novo, e de novo, eu vou mudar, porque o caminho é meu, eu vou pra onde eu quiser. Segue seu caminho, que eu vou seguir o meu. Não se maltrate tanto, nem sempre as coisas tem um culpado. A terra é redonda. Nunca se sabe o que pode acontecer.

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

O errado me atrai.

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Deixa eu me soltar um pouco, só um pouquinho. Eu me prendi tanto tempo por algemas que eu mesma inventei, que agora que eu descobri que posso ser livre eu quero tentar. Deixa eu fazer o que eu quero dessa vez, só pra variar. Deixa eu pensar no hoje, no agora, deixa eu comer a sobremesa antes do jantar, só pra eu ficar feliz, nem que seja uma felicidadezinha de nada. Deixa eu tentar ver sozinha que as coisas podem não ser tão horríveis como eu sempre vi. Deixa eu decidir por mim mesma, só dessa vez, só um pouquinho.