sábado, 7 de julho de 2012

É como se o mundo rodasse,
E eu tivesse que ficar parada, assistindo.
Como se minha vida fosse um livro,
Que quem quiser pode escrever,
Menos eu.
É como se eu não tivesse controle de nada.
Como se eu nem quisesse.
E eu nem quero.
Só quero que o som acabe.
Que tudo vire um filme mudo.
Que tudo vire meu.
Meu livro, onde os personagens falam.
Eles falam sem som.

Nenhum comentário:

Postar um comentário