quarta-feira, 14 de março de 2012

Resumindo...

Que tal se pulássemos os meios, as reviravoltas, as idas e vindas e partíssemos pro final? Pra conclusão. Pouquíssimo me interessa saber por onde você passou pra chegar aqui, ou com quem você encontrou. Sua vida realmente não me interessa. Não sei, talvez funcione, vamos tentar assim, me diga o que está acontecendo, eu julgo se é verdade ou não e fantasio um desfecho cheio de histórias emocionantes, com lágrimas e sorrisos, e tudo que tiver direito. Mas agora, eu realmente não tenho tempo pra saber a verdade. E mesmo que tivesse. A verdade muitas vezes é simples demais. Não atinge nenhum objetivo, não justifica o fim. E aí que eu entro. No fim. Pra saber se tudo valeu a pena. Pra saber se ainda dá pra continuar. Tomei traumas dos "meios". Sempre me perguntavam "Mas o que aconteceu pra que você chegasse aqui?" e essa pergunta sempre me assombrou. Por isso prefiro os fins. São simples, óbvios, claros. Acho que prefiro que os fins, por não saber o que me trouxe aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário