terça-feira, 27 de março de 2012

Ontem revirei tudo o que eu tinha.
Página por página.
Numa procura inútil por algo
Que nem lembro se existe.

Procurei pelo que não existia,
E achei o que existiu.
A brisa do passado que sempre
Me sopra o rosto
Quando abro um livro ou outro.

Não direi das músicas,
Que melhor não existe pra trazer
O que não devia.

Revirei tudo em busca de algo pra falar.
Uma frase bonita de um poeta qualquer.
Minha intenção era plagiar.
Já que me falta a criatividade
Pra me expressar com a melancolia
Que julgo ser necessária.
Revirei e não achei.

Achei as moças formosas
De bochechas vermelhas de sempre.
Achei contos sobre viagens,
Desencontros, sobre o tédio e sobre política.
Achei aquele poema sobre o vestido.
Achei tudo... E nada.

Então me achei aqui.
"[...] que por minha vez escrevo, dissipo."

Um comentário:

  1. Bela proesia sobre a saudade.

    "Procurei pelo que não existia,
    E achei o que existiu." essa frase é bem mais profunda do que pode parecer realmenre, tem tantas verdades aí.

    ResponderExcluir