sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Você estragou tudo

Um tempo atrás, achei um caderno de poemas e textos da minha mãe, coisa da época da faculdade. Eu vi muita coisa legal, e comecei a “roubar” os poemas dela. Mudava uma ou outra palavra e levava pra escola falando que tinha sido eu quem tinha escrito. As pessoas gostavam, falavam que eu escrevia bem, e por mais feliz que eu ficasse com isso, eu também ficava triste, por saber que não era eu quem escrevia. O tempo passou, eu parei de fazer isso. E um dia, eu me vi escrevendo um poema. No começo tava tudo muito estranho, sem nexo, realmente ruim. Eu fui tentando e um dia resolvi que estava bom. Mostrei pra uma amiga, ela gostou. Escrevi outro e mostrei pra ela. Ela gostou. Bom, a minha situação na época ajudava, eu estava tendo uma daquelas crises amorosas e todos os poemas e textos saíam melancólicos e profundos. O tempo passou e parecia que a vida queria que tudo que eu fosse escrever seguisse essa linha, porque tudo que eu conseguia passar pro papel era tristeza. Eu não sabia escrever sobre amor, felicidade, e coisas do tipo, mas não tinha com o que me preocupar, eu me via num buraco sem fundo. Só que você chegou. E acabou com meus planos de me tornar uma escritora mal amada e pouco conhecida, que virava noite escrevendo sobre as dores da vida. Hoje eu paro horas e horas tentando escrever algo, qualquer coisa que seja. E tudo que eu consigo é “Obrigada, por estragar meus planos.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário