quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Deixa chuvar


Fora as folhas do livro molhadas
E as anotações borradas.
Fora as poças que encharcam os pés,
E as gotas que de plinc em plinc
Ensopam a cabeça.

Fora a disputa por lugares cobertos
E os ônibus com seus horários incertos.
Fora o guarda-chuva estragado
E as mulheres tentando salvar o penteado.

Fora tantas outras coisas mais
Que você possa pensar,
Não tem porque não ir lá pra fora,
E deixar a chuva molhar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário