domingo, 16 de outubro de 2011

Uma prisão chamada eu


Conhecer palavras novas por contexto,
E não pelo significado em si.
Visitar lugares,
Cobertos de neve, ou de folha seca.
O deserto dos teus olhos.
Ter a companhia
De quem não se ousa cumprimentar.

Fazer real todos os concertos,
Que cada dia mais eu imagino reger.
Cantar todas as notas, todos os versos,
Tudo aquilo que me tira a voz.

Cair exausta de viver.
Dormir pesado de tanto viver.
Sonhar algo mais pra viver.
Acordar, sair pra viver.
É disso que preciso.
Viver.

Nenhum comentário:

Postar um comentário