sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Inquietude das que faz buraco na cama. Das que tira o lençol do colchão de tanto rolar, tentando um jeito pra quietar, qualquer coisa pra falar. Uma ponta de sono vem, daquelas que não sentia a tempos, e ela se vai fácil, fácil como veio. Mais uma volta na cama, parece que há espinhos nesse diabo de colchão. É que agora eu já não entendo nada. Me mudaram as idéias, me confundiram as metas e eu nem posso lutar contra o que eu tanto quis enquanto rolava nessa maldita cama.

Nenhum comentário:

Postar um comentário