domingo, 18 de setembro de 2011

O Desespero de Inverno


O frio chegou. E com ele, várias pessoas procurando umas às outras pra se proteger e esperar que ele dure por mais tempo. Algumas se acham. Poucas como queriam. Numa coisa que eu chamo de “desespero de inverno”, as pessoas se sentem obrigadas a passar suas tardes debaixo de um edredon com uma xícara de café e alguém que possa te esquentar. Esquentar mais que seu corpo, sua alma. Só que nesse ‘desespero’, as pessoas não se encontram como deveriam. Não se esquentam como deveriam. A futilidade do tempo frio invadiu os quartos escuros e solitários de quem esperava por um amor de primavera. E assim, quando as pessoas se acham, elas congelam. Se tornam cada vez mais frias, cada rajada de vento menos interessadas no que realmente interessa. Mas quando elas colocam a cabeça no travesseiro, vai ser com um gramado verde e um amor florido que vão sonhar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário