domingo, 21 de agosto de 2011

Leila XIV

A música soava como plano de fundo de uma cena dramática. O fogo queimava lentamente, e o estalar das brasas parecia estar no ritmo da música "Me dê notícias de você... Eu gosto um pouco de chorar". Uma garrafa pela metade, uma taça com um resto de vinho diluído em lágrimas. Um taça vazia sobre a mesa de centro denuncia que ela estava esperando alguém. Mas ninguém virá. Nem deveria, na verdade. Ela acha reconfortante a impressão de que tem alguém pra chegar. Por mais seja ruim a sensação de colocar a cabeça no travesseiro sabendo que todos os dias vão ser iguais, ela alimenta a esperança de que a ilusão possa ajudar. Enquanto isso, na voz de Buarque "Que linda a cantiga do vento, já passou..."

Nenhum comentário:

Postar um comentário