terça-feira, 9 de agosto de 2011

A história de uma caça


Ela era uma mulher considerada linda por alguns. Pele branca, um metro e setenta, rosto de boneca, gênio forte. Era uma psicopata. Era bem seletiva. Não escolhia os mais populares nem os mais bonitos, numa opinião geral. Eram os perfeitos, na opinião dela. Seduzia, encantava com suas histórias engraçadas, os deixavam perdidos em seus beijos. Ela tinha o dom, ela sabia que tinha. Comovia com seus problemas. Qualquer homem de bom coração se entregaria a essa donzela indefesa. Até que um dia, ela acorda, não te beija com tanto amor quanto antes, te evita, te ignora, te esnoba, te chuta, e no final, arranca seu coração. Na casa dela, uma parede reservada só pra eles. Uma coleção. Cada um tem sua história. Cada um teve seu gosto. E ela não mentiu pra nenhum deles. Ela nunca mente. É tudo natural. Naturalmente psicopata. Um dia, num desses dias de beijos frios, em que ela voltaria pra casa com mais um coração, ela percebeu que alguma coisa estava diferente. Ela voltou sem seu prêmio. E sua vítima estava a essa hora, pregando na parede, o coração de uma psicopata desalmada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário