quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Ainda pequena

Só queria que eles vissem ela como eu vejo. Queria que eles vissem a insegurança, o medo e a tristeza em seu olhar. Ela pode ser enigmática, mas não para mim que consigo lê-la tão facilmente.Para muitos ela não é o livro mais agradável, enquanto para mim é uma leitura de minha própria vida, em palavras negras postas em papel branco que se dirigem somente a mim mesmo. Ela é a melodia suave, tensa e melancólica de uma noite chuvosa que trazem para as pessoas o prazer mas não para mim. A música que tocas entra pelos meus ouvidos e já faz parte mim, fundindo com meu corpo, alma e o meu sangue frio que já não pulsa mais enquanto meu coração negro e morto se anima de uma forte diferente, uma forma inesperada e impactante, ele é fraco mais pulsa na vontade de reagir. Vejo nela a escuridão da minha obscura vida,vejo em lágrimas não derramadas a incerteza, a dúvida, e remorso que me assombram também, em minha mente, em meu ser e alma. Sei que és ainda pequena, mais é o ser pequeno que vejo todos os dias que a torna tão especial para mim. Enquanto os outros a tratam como uma grande e inesgotável fonte de segurança e maturidade, eu a trato como um ser igual a mim, igual a qualquer ser humano, errando sempre, claro, mais errando como você próprio sempre erra. Ela foge de tudo com sua aparência extravagante e muitas vezes peca no muito simplesmente pelo fato de seu cabelo, seu corpo ser a sua forma de expressar quem é ela mesmo enquanto eu fujo e me escondo dentro de mim mesmo. Ela sempre tem a coragem que eu nunca tive, ela faz coisas que eu a muito tempo quero fazer mais minha covardia não deixa ao mesmo tempo em que estar do lado dela faz com que a loucura me pegue e faço coisas que nem sonharia em fazer e isso é ótimo. Vejo ela em mim, não sabia que uma pessoa podia ser tão igual e ao mesmo tempo tão diferente de mim, acabo de descobrir uma nova forma de amar, uma forma de amar fraternalmente sem ligar para nada, é então que a vejo pequena e só o que queria fazer é protegê-la do mundo, mundo qual ela se encaixa, coisa que não vou nunca conseguir ou até mesmo não quero conseguir. Vejo ela tão pequena, tão desprotegida e precisando de um afeto, mas sei que ainda há luz para ela, sei que a salvação está nela, coisa que já perdi e não consigo ser levantar um dedo para tentar consegui-lá. Não posso ser mais salvo, ou até mesmo não quero ser salvo, mas sei que ela sim pode e faz de tudo para que isso possa acontecer, quero protege-la e ama-la para que ela não caias como eu caí.




                                                                                                                 Igor H.S.V.

Nenhum comentário:

Postar um comentário