quinta-feira, 28 de julho de 2011

Uma dor menos doída

Por não saber o que fazer, eu erro. Erro por medo de errar. Machuco por medo de machucar. Com o tempo, criei a teoria de que estar longe é o melhor que posso fazer. Machucar agora é melhor do que arriscar machucar ainda mais, depois. É o que diz minha teoria. Só que nessa teoria, esqueci de me favorecer. Eu faço o que está ao meu alcance para amenizar a dor alheia, a dor que estou fadada em proporcionar, e trago essa dor toda pra mim. No começo incomodava, mas era bom saber que eu tinha consertado o erro de ter entrado na vida de mais alguém. Hoje já não me importo mais. Não é mais dor. É arrependimento. Por nunca levar nada a frente, pra saber se a dor de ‘depois’ é realmente pior. Desculpe-me. Eu me arrependo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário