domingo, 17 de julho de 2011

Um salto pro 'eternamente'

A queda livre me pareceu mais instigante do que deveria ser. A livre escolha entre pular ou ficar parecia quase inútil. O vento zumbia em meus ouvidos, e olhar pro céu tão perto me dava tonturas. O sol estava forte, mas fazia frio. Meu corpo experimentava a sensação de estar flutuando por entre o calor dos olhares e a frieza da distância. A vista era inspiradora, pelo menos pra mim, que tenho uma natureza mórbida. A mais sã das pessoas teria o impulso que tive. Eu, mesmo sem motivos, o faria. Mas eu tenho motivos. Meu infinito estava a minha frente.  Olhei mais uma vez pra baixo, seria interessante ver sangue por entre as folhas. Mais um olhada e desisto. A morte em vida tem sido suficientemente dolorosa pra mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário