sábado, 9 de julho de 2011

De um a mil, tanto faz

Um banho. Dois. Minha pele parece impermeável. A água deveria me machucar, mas não machuca. Outro banho. Água o mais quente possível. Mais um telefonema, mais um convite. Não quero sair. Não consigo sair do chuveiro, imagine de casa. Dor de cabeça a ponto de quase me fazer desmaiar. Uma xícara de café. Nada na televisão. Nada na janela. Nada no mundo. O chão tem parecido mais confortável que o sofá, que a cama. Isso acontece só pra deixar a situação mais real. Me sinto no chão antes mesmo de me sentar. Desmoronar. Eu pagaria caro por um... Não! Eu prometi parar. Mas seria bom. Seria clichê, e muito bom. As coisas fluem tão fácil na minha cabeça que é difícil me imaginar em tal situação. Eu já deveria ter me acostumado. Deveria. Não acostumei. Não sei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário