sábado, 7 de maio de 2011

Ninguém tem culpa

Não é por causa das palmadas. Nem dos chingos. Eu realmente entendo que isso tudo foi pro meu bem, na maioria das vezes. Sei que querer saber quem são meus amigos e saber que horas volto pra casa são coisas que todos os pais fazem, e não te culpo por isso. Implicar com minhas notas, me deixar de castigo por ter feito algo errado também é compreensível. O que nunca entendi, e nem nunca quero entender, é porque tanto rancor, e o porque desse olhar cheio de ódio e deboche. Nunca entendi porque não me aceitar do meu jeito, e mesmo que discordando, me deixar ser feliz. E em certos momentos, o que você chama de cuidado, às vezes soava como 'maldade' mesmo. E é por isso que digo, que quando eu for te dizer adeus, eu vou sem lágrima no olhar.


Nenhum comentário:

Postar um comentário