sexta-feira, 20 de maio de 2011

Me desculpe

Peço minhas mais humildes e sinceras desculpas à você, por ser como sou. Concordo que posso não parecer o melhor. E posso talvez nem ser o melhor. Mas acontece que com o tempo, me tornei o que tinha medo de ser. Às vezes penso que só por fora. Mas sei que por dentro também mudei. O que não significa que sou de todo mal. Esse meu egoísmo, que eu prefiro chamar de amor próprio, já me salvou de muita coisa, e também me privou de várias outras. Talvez eu exagere demais. É, eu sempre exagero [inclusive nos 'talvez']. O fato é agora eu não sou só eu. Somos eu e ele, juntos. E meu amor próprio preza por mim, por nós. E essa geleira que sou, que me tornei, vai derretendo, pouco a pouco com o calor dos abraços dele. Não quero justificar nada. Só peço que me desculpe. Tento ser o melhor que posso.



Nenhum comentário:

Postar um comentário