sábado, 16 de abril de 2011

Era uma vez,

Uma menina que amava fácil, chorava fácil, ria muito muito fácil. Ela sempre foi muito comunicativa, cheia de gente em volta, mas pra ela isso nunca era o bastante. Ela não se sentia completa ali, e começou a buscar a 'felicidade' nela mesma, ficando só. Depois de um tempo ela se acostumou. Ela se acomodou, melhor dizendo. A vida pra ela virou 4 paredes, e qualquer pessoa que tentasse tirar isso dela, acabava saindo da sua vida, por impulso. Ela acabava se tornando vítima de tudo sem perceber. E ao machucar os outros, se machucava também. Ela quase morreu afogada em suas próprias lágrimas. Se sentiu atingida pelo que não era pra ela. Se sentia indefesa, ingênua, enganada. A menina ia crescendo e aprendendo mais a cada dia. Ela não deixou de sofrer, não deixou de ser indefesa, só aprendeu, e muito bem por sinal, como se defender de certas coisas, e como se esconder de outras, ela aprendeu que ninguém precisa de ninguém pra viver. Hoje, essa menina, já não tão menina, se sente, de certa forma culpada por não precisar de você pra seguir em frente.


Nenhum comentário:

Postar um comentário