sábado, 30 de abril de 2011

505

[...]

Pare e espere um segundo.
Quando você olha para mim assim,
Minha querida, o que você esperava?
Eu provavelmente ainda adoro você
Com suas mãos em meu pescoço.
Ou adorava da última vez que chequei.


Eu não tenho medo de uma faísca
A faca gira no pensamento
de que eu devia cair perto da marca.
Assustado pela mordida
Não, ela não é pior que o latido.
No meio da aventura
Parece o lugar perfeito pra começar.

[...]

Mas eu desmorono completamente quando você chora
Parece que mais uma vez você tem que me receber com um adeus
Eu estou sempre a ponto de acabar com a surpresa
Tirando minhas mãos dos seus olhos cedo demais

[...]





Você pode ter a fé que quiser,

em espíritos, em vida após a morte, no paraíso e no inferno, mas se tratando desse mundo, não seja idiota. Porque você pode me dizer que deposita sua fé em Deus para passar pelo dia, mas quando chega a hora de atravessar a rua, eu sei que você olha para os dois lados ;)





sexta-feira, 29 de abril de 2011

Irônia ou não

Hoje é como se eu estivesse começando um novo ciclo, uma nova fase. Cada vez mais difícil, sim. Mas cada vez melhor, também. Como uma nova vida, que a cada dia ganha mais forças para vencer.



Eu te amo.

Eu quis mudar

Quis sair desse meio que vinha me fazendo mal, desde o começo. Eu consegui, agora já posso contar os dias pra ter uma segunda chance. Conhecer gente nova, num lugar diferente. Andar com minhas próprias pernas. Mas o destino teima em caminhar pro lado contrário ao meu.  Eu me senti isolada, sozinha, sem ter quem abraçar, sem ter alguém pra me fazer esquecer um pouco desse inferno todo. Eis que quando eu consigo minha 'carta de alforria', me aparece alguém, pra aliviar todo o pesar do dia em poucos minutos. Pra me abraçar forte, e me fazer sorrir quando eu menos tenho forças pra isso. Alguém que ri das minhas piores piadas, e consegue me tirar todo o rancor do mundo real.  Não esqueça de mim, nunca. Preciso de você.




você, você, você, você, você, você, você quer ser meu amigo, pra sempre? ♥

Bom trabalho

Desde sempre você se vangloriou de como sabia comandar as coisas. Desde de sempre você julgou quem não sabia o que fazer, porque você, sempre soube. Pois hoje eu te digo: Nada funcionou. Não funcionam na sua frente, já que você pode ver o que me tornei. Imagine então quando você vira as costas? Não funcionava quando eu era inocente e tinha medo do mundo fora desses quatro muros, que você nunca me deixou sair. Não funciona agora, que você ainda me prende aqui, com medo do que eu vá fazer. E sabe? Eu continuo fazendo isso tudo. Pior um pouco, do que faria se você simplesmente falasse "Vai, e se cuida". Não, não estou reclamando. Você me ensinou a preferir tudo isso aqui. O que não quer dizer, que assim que eu puder sair, eu vou querer ficar aqui, com você. As coisas mudaram muito. E acho que você percebeu, que a última palavra sempre tem sido minha.


quinta-feira, 28 de abril de 2011

Não sei bem onde vou chegar

Durante a minha vida toda me queixei de ser sozinha. De nunca me levaram à sério, de nunca estarem comigo, como eu queria. Não sei bem, mas o tempo todo foi assim mesmo que eu quis. Mesmo sem perceber, eu sempre quis, gostei, e senti falta de estar sozinha. Poder estar leve, sair sem destino. Foi o que planejei pra mim, ser independente, livre. Ainda quero isso. Quero viajar sem rumo, quero sair sem hora pra voltar. Quero ir sozinha e voltar com um grupo de amigos novos. Quero minha loucura de sempre. E agora não sei bem se ainda posso isso tudo. Não sei se era exatamente essa bagagem, a que eu queria levar comigo. Não sei se isso tudo é só mais um momento. Mas eu tenho tanto, mas tanto medo que não seja.


terça-feira, 26 de abril de 2011

Eu tento

Eu tento escrever seu nome na minha fumaça, mas não consigo. Eu tento entender porque fiz tudo aquilo, mas não consigo. Eu tento esquecer o meu passado, mas não consigo. Eu tento acreditar que a culpa de tudo isso não foi minha, mas eu sei que foi. Eu tento ser melhor, e não saio do lugar. Existe um mundo paralelo ao real que me atrai muito mais. Eu deixo a obrigação de lado pra mergulhar na interessante vida alheia, que querendo ou não sempre parece melhor que a minha. Eu sei que se eu consertasse as coisas, hoje tudo seria diferente. Mas mesmo assim, eu queria consertar. Só não consigo.

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Ainda tenho suas marcas

E quero elas pra sempre em mim.

Minha melhor parte,

Foi embora, de novo. Eu me senti despedaçar com o ronco do motor do ônibus ligado. Senti meu mundo desmoronar mais uma vez ao ver ele sair da plataforma, lentamente. Eu sei, você vai voltar, mas é que até lá minha felicidade vai depender de paliativos que só me destroem. Felicidade a curto prazo só me deixa pior. Não quero mais visitas, quero uma vida. Quero sim, te ver indo embora, mas te ver amanhã, e depois, e depois. Não acho que estou pedindo nada demais. Não tenho culpa de ter achado minhas forças pra viver tão longe. Me diz, é pedir muito, querer ser feliz?

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Não quero mais isso

Eu tento sair do meu mundo. Pelo menos um pouco. E quando eu piso fora dele, é como se a realidade alheia me esmagasse, me expulsasse. Por um momento as coisas parecem ser boas, valer a pena. Mas sempre aquele momento em que você tem vontade de sentar no chão, em público, e chorar, chorar até cansar. E quando me vissem, eu gritaria "EI, VOCÊS! TÃO VENDO ISSO AQUI? É O QUE A MAIORIA DE VOCÊS QUERIA TER CORAGEM PRA FAZER, MAS NÃO FAZ! PREFEREM AFOGAR AS MÁGOAS EM VINHO BARATO, E ESCONDER O MEDO DO MUNDO COM ROUPAS ESTRANHAS!". E é tudo verdade, eu sei. Esse mundo de diversão momentânea, esse mundo de bêbados loucos, não vão fazer sentido por muito mais tempo. Pra mim, nunca fez. Eu sinto falta de quem olhava pra mim com olhar singelo, com amor. Quem olhava pra mim, querendo saber se eu podia lhe dar um beijo, e não querendo saber se eu tenho um cigarro sobrando. Esse mundo de vocês, de aparências e vícios, é frio. Frio demais pra mim que se sente tão mal sozinha. E tão sozinha, com vocês. Não estou cuspindo no prato que comi. Nesse caso, o prato é quem cuspiu em mim.

sábado, 16 de abril de 2011

Era uma vez,

Uma menina que amava fácil, chorava fácil, ria muito muito fácil. Ela sempre foi muito comunicativa, cheia de gente em volta, mas pra ela isso nunca era o bastante. Ela não se sentia completa ali, e começou a buscar a 'felicidade' nela mesma, ficando só. Depois de um tempo ela se acostumou. Ela se acomodou, melhor dizendo. A vida pra ela virou 4 paredes, e qualquer pessoa que tentasse tirar isso dela, acabava saindo da sua vida, por impulso. Ela acabava se tornando vítima de tudo sem perceber. E ao machucar os outros, se machucava também. Ela quase morreu afogada em suas próprias lágrimas. Se sentiu atingida pelo que não era pra ela. Se sentia indefesa, ingênua, enganada. A menina ia crescendo e aprendendo mais a cada dia. Ela não deixou de sofrer, não deixou de ser indefesa, só aprendeu, e muito bem por sinal, como se defender de certas coisas, e como se esconder de outras, ela aprendeu que ninguém precisa de ninguém pra viver. Hoje, essa menina, já não tão menina, se sente, de certa forma culpada por não precisar de você pra seguir em frente.


sexta-feira, 15 de abril de 2011

domingo, 10 de abril de 2011

I love it but I'm afraid

Tudo muito parecido. Gostos muito iguais. Diferenças que se completam. Parece mais não é. Sei meu limite, não quero fugir de algo que gosto tanto, que me faz tão bem. Com o tempo as coisas se ajeitam e eu acostumo. Sei bem o que você pensa. Sei o que todos vocês estão pensando. Que se danem suas opiniões. Sou assim mesmo, intensa, quando gosto, gosto, gosto muito. E não julgue meu jeito de amar, eu não pretendo mudar isso.  



Eu gosto de você ♥

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Só sei que nada sei

Às vezes parece que o mundo vai mais rápido do que posso acompanhar, e o fato de eu estar completamente fora de órbita me deixa mal, cada vez com menos vontade de mudar alguma coisa. As coisas tem sido apenas consequências, nada acontece porque eu planejei. Tem sido tão raro o sentimento de dever cumprido. Me sinto tão sozinha. Me sinto tão... só eu.


Acho que consegui

Não sei bem ainda se era o que eu queria. Mas é muita pressão, muita gente, muito passado. Muito tudo.  Eu quero começar minha vida do meu jeito. Conviver com pessoas que eu escolhi, mesmo agora não sendo tão possível. Fazer o que nunca fiz por não conseguir ficar sozinha. Vou sentir pela primeira vez, uma coisa que nunca me deixaram sentir...







Me deixem fazer do meu jeito dessa vez, prometo que vai sair tudo bem.

terça-feira, 5 de abril de 2011

O que é 'Pra sempre' pra você?

Pra sempre é até sua morte? É além da morte? Sabe o que é Pra sempre pra mim? Pra sempre é uma vida. Não necessariamente a minha, nem a de ninguém a minha volta. Quando você diz por exemplo 'vou te amar pra sempre' significa que você vai amar a pessoa uma vida toda. A vida de vocês juntos, juntos vocês eram uma pessoa só. Quando o 'vocês' acabar, acabou uma vida, acabou uma pessoa que só existiu quando estavam se amando. Pra sempre não é até o final da sua vida. Pra sempre é até o final da vida que você tinha com quem prometeu o 'sempre'.








Sei, ninguém entendeu o que quis dizer.