terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Mais um

Acendi um Sampoerna, sentado em frente ao meu bom amigo de todos os dias, ele já é meio velho, mas serve pra que eu quero. Já está tarde, aliás, sempre é tarde. Tem uma garrafa de vodka, ainda intocada no chão sujo do quarto, nem quero chegar perto, é melhor assim.A cada tragada eu sinto alguns segundos indo embora, agora e no futuro. Meu amigo ainda ali, me olhando, quieto, parado, imovel! Ele não sorri, ele não fala, ele não pensa, a não ser que eu mande. Tragada vai, tragada vem, foi-se o dia, mais um de muitos!



Deniel Vieira de Lima




Nenhum comentário:

Postar um comentário