terça-feira, 30 de novembro de 2010

Que bom se eu fosse uma diva...

A razão

tenta me puxar pro mundo real, me chamando pra viver, pra ver coisa nova, pra viver coisa nova. Pra sair, me divertir, socializar em geral. A razão me diz que eu não era tão branca assim, e que esse bronzeado, é de horas na frente de um computador, sendo iluminada pela luz artificial da lâmpada. A razão me diz que antigamente, nas segundas-feiras, meu assunto era só sobre as festas e saídas do fim de semana. Antigamente, festa era o que não me faltava pra ir. E hoje também é assim. Só que eu não quero. A razão não consegue me tirar do virtual, do perfeito, onde eu não tenho que tirar o pijama pra estar num grupo de amigos, na mais animada "festa". Incomoda não ter o mesmo papo de quem esteve na festa badalada, ou na saída fodona, mas é melhor ficar de fora, do que ter ido, e passado pela mesmo coisa que eu já passei outras vezes, de ficar sentado, olhando pro povo se divertir, e eu morrendo de vontade de ir embora. Só que o virtual não serve, não completa, não te torna feliz em todos os aspectos. Um dia você vai sim, querer sair de casa, pegar um ônibus, e ir encontrar com aquele grupo de amigos, que você podia conversar até de pijama. Um dia você vai querer estar com eles, e vai querer gritar com eles, brigar com eles, bater neles, ou simplesmente olhar pra eles. Um dia, você sente que o mundo real a sua volta, não te interessa, não te completa, e você percebe que só está bem, com poucas pessoas desse seu mundo. E mesmo assim, te faltam outras...


Enfim, eu precisava desabafar, e dizer à todos aqueles do Chat do System of a Down, [que merecem ler isso] que eu realmente queria MUITO que eles fizessem parte da minha realidade, do meu mundo.


segunda-feira, 29 de novembro de 2010

PUTA QUE O PARIIU!

#SOADISBACK PORRA!!!!!!!!!!!


Pirei, sem mais.

sábado, 27 de novembro de 2010

Não é mais você

Os dias tem passado tão rápido que eu nem pude ver.
Eu andei mudando, talvez você tenha percebido,
Que não é mais nos seus braços que me sinto segura.
Hoje eu quero tanto seguir minha vida,
Fazer minhas escolhas sem ser repreendida.
E se eu errar, que seja porque fiz do meu jeito,
E não do seu...
Hoje quero colocar as asinhas de fora
Não ficar com remorso ao ir embora,
E deixar um caminho que não era meu.
Era seu, o tempo todo foi seu.
Eu quero ter meus segredos, meus anseios,
Minhas aventuras e desventuras.
Eu quero poder ir às alturas,
E chorar em outros braços a minha queda.
Hoje eu percebi que mais cedo ou mais tarde seria assim.
E já que eu tenho essa fama de ser ruim,
Deixe que eu mesma vou me afastar.



quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Apagaram.

Apagaram o que ainda tinha que me lembrava quem era você. Apagaram de vez as últimas provas de que você mudou, e não mudou pra melhor. Apagaram minha compania de noites sem internet. Noites de risadas, de lágrimas nos olhos, com direito a toda emoção e sinceridade do mundo. Noites que me deixava tão feliz, por ver o quanto nos damos bem, e ao mesmo tempo me deixava triste, por saber que é passado, e que agora não existe mais essa afinidade. Apagaram uma rápida passagem na minha vida, mas que foi tão importante, e que eu tenho tanta saudade. Apagaram, e eu nem devia estar tão abalada assim, já que muito antes, você já tinha me apagado da sua vida.




quarta-feira, 24 de novembro de 2010

"[...]

Marina, até ontem só menina
hoje é ave de rapina,
criou asas quer voar...
voar além
da imensidão
voar além
do coração
de quem quer te proteger...

Viu que aumentei uma estrofe? faz parte da passagem de tempo... Bjs TE AMO! MUITO!"




Mais uma prova de que minha mãe é completamente louca.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

E o corpo inteiro,

feito um furacão. Boca, nuca, mão, e a tua mente não! ♫




Crise.

Sabe quanto tempo eu fiquei sem ter essa sensação horrível? Quase 4 meses. MERDA! Isso é horrível! E eu fico com muito medo do que posso fazer, se ela não passar, ou se voltar logo. Eu nem gosto de lembrar de todas as besteiras que já fiz sob o efeito de uma dor idiota vinda sei lá de onde, e alguns remédios. Mas enfim, acho que sei o que pode ter causado isso, e sinto tanta raiva que quase me dá vontade de chorar. Não se faz isso com alguém por motivo algum, nem muito menos por infantilidade e medo de encarar os fatos.






                                 IDIOTA!


quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Hoje,

a pessoa mais especial desse mundo, pra mim, faz aniversário. E eu não posso lhe dar um beijo, um abraço, nem sequer um aperto de mão. E isso me dói, dói muito. Eu não consigo entender como as pessoas acreditam num deus perfeito, que faz as coisas certas, no momento certo, se a pessoa que eu mais amo, não está aqui comigo. Isso pra mim não é perfeição, nem trabalho de deus nenhum. Foi o destino, que sabe que o amor não liga pra distâncias, nem pras pessoas que vão discordar, ou qualquer outro impecílio. Foi o destino que desde o início me fez olhar pra ele com um olhar diferente, e mesmo sem saber que algumas semanas depois nos tornaríamos namorados, me fazia contar a horas pra ver você online, e ficar realmente entediada quando você não entrava. E devo até dizer que o destino foi meu amigo, colocando no meu caminho uma pessoa tão perfeita, como eu sempre quis, de uma forma tão diferente [tão diferente quando nós dois] e nem tão longe assim né? Se eu tivesse que colocar meu amor por você nesses 375 km, não daria nem pro começo. E o que são 375 km perto do infinito do nosso amor?





domingo, 14 de novembro de 2010

GANHAMOS! *O*





Banda Crianças Insanas, vencedora do 1º Festival de Rock do CETAP.




Comemoração regada a chocolate, milkshake [literalmente regada, né Matheus?! rs], churrasco, minipizza, e System no carro.
Foi bom, muito bom \o/

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Me dá uma dor no coração

Te ver assim, preocupado, saturado, estressado, e eu não poder fazer nada. Posso ver nos seus olhos o cansaço, e não posso te deitar no meu colo e dizer que enfim você pode ficar tranquilo, e esquecer o resto do mundo, porque eu vou estar ali, pro que você precisar.
Me preocupa saber que você pode se senti culpado por qualquer atraso de planos, ou coisa parecida. Mais nada vai nos impedir de viver nosso sonho. Se os outros não intendem que pressão psicológica não vai ajudar em nada, e pode acabar atrapalhando, nós só podemos desconsiderar qualquer coisa que não ajude.
E se isso ajudar, eu quero que você saiba que eu te amo, e que nada vai mudar todo esse sentimento inexplicável que eu sinto.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Falta de tempo

Eu fiquei séculos e séculos sem ABSOLUTAMENTE NADA pra ocupar meu tempo. E agora, não tenho tempo pra fazer tudo que devia.






É difícil ser uma garota ocupada (H)

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

E resumindo foi assim...

Meu coração quase parou, de tão rápido que ela vinha batendo nas últimas horas. Nada tirava minha atenção daquela estrada, que de tantos ônibus, nenhum era o seu. Mas, quando eu achei que já não tinha nem mais forças pra levantar, de tanto nervosismo, lá vem ele. E a porta abre, e não é você quem desce. Só depois de uns segundos (que pra mim foram horas) é que eu vejo você. Nada paga a imagem de te ver, com um sorriso no rosto, descendo daquele ônibus e vindo na minha direção.

Seu beijo? Inexplicável. Eu não conseguia me soltar de você. Pela primeira vez na vida eu me senti segura, amada, desejada. Cada segundo com você, apagou cada momento ruim da minha vida, em que eu desejei não viver mais.


Mas, o dia chegou. E eu já acordei com vontade de te acordar correndo, colocar umas roupas na sua mala e ir embora. Pra longe, muito longe. Qualquer lugar que não pudessem nos dizer a hora da despedida, a hora de voltar a vida. E apesar de não querer, eu não tive outra escolha, e tive que deixar você ir, pra longe de mim.
Te ver subindo naquele ônibus, foi a pior dor que já senti na vida. Parecia imagem de novela: A mocinha apaixonada, chorando rios ao ver seu amado partindo, pra voltar sabe-se lá quando.
Por alguns minutos, eu senti que uma janela de vidro me fazia sofrer muito mais do que 375 km de distância. E eu nunca desejei tanto mal pra alguém, como desejei pro motorista daquele ônibus. Eu poderia ver o mundo explodir, desde que meu amor ficasse aqui, um pouco mais, pra me dizer que tudo não passou de um pesadelo e que já tinha acabado. Mas não. O ônibus partiu, e eu vi sua imagem ficar distante, uma distância que eu não sabia se poderia aguentar, de novo. Mas foi perfeito, foi muito mais do que eu esperava e imaginava.




E agora eu estou em queda livre, de um abismo sem fim. E só você pode me salvar, sabe-se lá quando, mas eu vou estar aqui, caindo em sua direção. Mas, não se preocupe, cuide do nosso futuro, que eu cuido de não cair em outro lugar, que não seja seu colo.





Eu te amo, com todas as minhas forças.