sábado, 30 de outubro de 2010

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Sem mais.

Acho que vou enlouquecer!












*tem um ataque*

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Mais um dia...

Tão longo quanto uma semana.
O tempo não passa, se arrasta.












                                                3 dias

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

eu..

estou tentando manter a calma, mas...


*respira*








*silêncio*












Explicando: Essa técnica de respirar e simplesmente não dizer o que eu tanto quero, me ajudou por um tempo a não explodir, não dizer o que eu tinha tentando esconder por tanto tempo... Mas hoje, só atrapalha. Porquê quando eu tenho que falar, quando eu tenho que explicar, e sim, agora eu consigo e posso fazer isso, eu não consigo. Eu me calo involuntáriamente e minha cabeça pára de funcionar, se recusando a me deixar formular uma frase se quer que defina um estado de espírito. E hoje eu sei bem, que isso em muito a ver com umas escolhas e promessas que eu fiz a um tempo. Mas enfim, eu estou pagando por uma escolha minha, e.. quem sabe ainda tem volta?





                                                     

                                         5 dias

sábado, 23 de outubro de 2010

Agora eu sei,

que durante todo aquele tempo que eu andei por um caminho escuro e doloroso, eu estava procurando a luz do seus olhos, pra me salvar e me fazer a pessoa mais feliz desse mundo.















sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Olá Mãe!

Mãe, eu queria te dizer
(não te chamando de mamãe como no tempo
em que a vida era você, mas te chamando de mãe,
deste meu outro tempo de silêncio e solidão)

Mãe, eu queria te dizer
(sem cara de quem pede desculpa pelo que não fez
ou pensa que fez)
que o amor virou uma coisa difícil
e muitas vezes o que parece ingratidão,
ou até indiferença,
é apenas a semente do amor
que brotou diferente
e amadureceu diferente,
no atrapalhando coração de gente.

Acho que era isso, mãe,
o que eu queria te dizer.

                                                                                                                                          Carlos Q. Telles








8 dias

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Não tem mais com esconder.

Minha vida está um tormento! Não tenho mais paz! Eu não durmo direito, não como direito, não estudo direito. Minha cabeça está a mil. A cada batida do meu coração, é como se eu estivesse morrendo por dentro. Morrendo de angústia, morrendo com este nó na garganta. Apesar de não saber bem o que eu sinto, devido a intensidade, eu sinto que preciso desistir de qualquer outra coisa que já passou pela minha cabeça um dia, e me dedicar a isso, inteiramente, de corpo e alma. E vou fazer o que for preciso pra ir atrás do que eu realmente quero, do que realmente vai me fazer feliz.
















Matheus, vem logo. Por que essa vontade de você está me corroendo cada dia mais. E eu não sei quanto tempo mais vou aguentar longe de ti.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Pagando pelas falhas

Foi esse o motivo do meu sumiço. E sobre ele eu não tenho grandes coisas a falar a não ser...
















PUTA QUE O PARIU! Que saudade, Que saudade!!!