quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Quase um vampiro.


Hoje, mais do que nos outros dias, a luz do sol me incomodou muito. E eu cheguei a conclusão óbvia que eu não sou um ser do dia, da claridade, e talvez nem da transparência, em certos aspectos. Eu gosto e sempre gostei de lugares menores, abafados, iluminação baixa. Dá um certo mistério a qualquer coisa. Um lugar mal iluminado, te faz imaginar inúmeras possibilidades. Te faz sentir um misto de medo e curiosidade. A claridade te mostra tudo, ela é nua e crua. Claridade está diretamente ligada com calor, e tá aí outra coisa que eu não suporto. Agora imagine, um quarto com pouca iluminação, um frio agradável, uma lareira, um filme, um cobertor e seu amor. Perfeito, não? Agora imagine tudo isso, com o sol na sua cara e um calor de 40º.  Acabou o encanto, acabou o clima. A escuridão te faz procurar uma luz pra seguir. A claridade te cega e te faz cair.

Nenhum comentário:

Postar um comentário