terça-feira, 14 de setembro de 2010

Enfim, a Rosa.

A rosa não morreu
Ela sempre vai estar tão viva
Quanto no dia que desabrochou.
O perfume continuará guardado.
O poder da cor
Não morrerá nunca.

A rosa "enfeitiçada"
Que demorou pra perder vitalidade
Os dias passaram
E ela continuou bonita, vermelha.

Hoje não passa da realidade.
A rosa sofreu, a carcaça apodreceu.
Mas dentro, o espírito está cada vez mais vivo.
Mais renovado, esperançoso talvez.

A rosa vai marcar.
A rosa de personalidade forte.
Que não se deixou abater pelas semanas.
A rosa já não tão bonita quanto antes...
Mas há quem goste.

A rosa que guarda no segredo da alma,
O perfume de uma tarde de sexta feira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário